DCIM127MEDIADJI_0135.JPG

Nesta quarta-feira (15/12), Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) esteve reunida, em Brasília, com a coordenação geral do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) do Ministério do Turismo (MTur), para viabilizar a inclusão de flutuantes como meio de hospedagem no Cadastur, sistema voltado a pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor de turismo.

O encontro é um desdobramento das tratativas que vem sendo realizada com o MTur para criar uma matriz no Cadastur tipificada como “Flutuantes Turísticos”, com o objetivo de garantir o maior controle da atividade, promover o ordenamento, a proteção ambiental e a geração de emprego e renda no estado. Dados recentes da Associação de Flutuantes Turísticos do Tarumã (Afluta) apontam que o meio de hospedagem movimenta R$ 4.320.000 por ano, em diárias, com notável importância para o desenvolvimento do setor.

(FOTOS: Janailton Falcão e Divulgação / Amazonastur).

O presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, ressalta que essa é a segunda vez que o Governo do Amazonas pleiteia a inserção de estabelecimentos considerados típicos do estado no sistema oficial do Ministério do Turismo. A primeira aconteceu em 2019, quando a Amazonastur conquistou para a categoria de barco-hotel a certificação de meio de hospedagem regular do Cadastur.

Os flutuantes fazem parte da cultura amazonense, explica Sérgio Litaiff Filho, e também são uma das atrações turísticas em que é possível ter experiências únicas, como mergulhar no maior rio do mundo e vivenciar um pouco da cultura ribeirinha.

“Essa inclusão no Cadastur é importante para os empresários do setor, para o turista que terá no sistema uma referência de flutuantes regularizados e seguros, e também para o meio ambiente, porque a certificação requer regularização dos estabelecimentos em órgão de controle ambiental. Todo esse contexto é fundamental para continuarmos promovendo o nosso destino, gerando emprego e renda para o setor ”, afirmou Litaiff.

(FOTOS: Janailton Falcão e Divulgação / Amazonastur).

Durante o encontro, a equipe técnica da Amazonastur exibiu as diversas modalidades de serviços oferecidas pelos flutuantes como hospedagem e restaurante. Também foi apresentado o plano de ação com o trade da região, em que foram realizadas oficinas e cursos de atendimento ao turista para prestadores que atuam no setor, visando a qualificação nos serviços, haja vista a crescente procura de turistas nacionais e internacionais por esse tipo de atividade. 

Cadastur – Conforme o Ministério do Turismo, a participação no Cadastur é obrigatória para agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de eventos, parques temáticos, transportadoras turísticas e também para os guias de turismo.

A maioria dos programas e ações do Ministério do Turismo voltados para os municípios e empreendedores, como o financiamento de projetos, exige o número do Cadastur. Além de garantir diversas vantagens e oportunidade de negócios, o programa também é uma importante fonte de consulta para o turista, com mais de 90 mil prestadores de serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

Águas de Manaus prorroga promoção que devolve ao consumidor até 40% do valor de faturas

Campanha segue até o dia 28 de fevereiro e além do cashback, os clientes podem parcelar a conta de água em até 12 vezes no cartão de crédito

Para a Fenafisco, Pec dos combustíveis é eleitoreira e burla a Lei de Responsabilidade Fiscal

Os debates e dados apresentados no último ano comprovam a ineficácia da Política de Paridade Internacional (PPI) da Petrobras

Preço da gasolina comum em Manaus sobe mais de 40% em um ano

O dado está disponível para consulta no site da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e considera a evolução semanal dos preços entre a última semana de fevereiro e a primeira semana de março de 2021 e 2022.