A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) deflagrou, no município de Boca do Acre, a Operação Divisa e prendeu, em flagrante, Aldair Ferreira Brito, de 25 anos; Maisa Bezerra dos Santos, 18; e Pedro Silva dos Santos Apurina, 21, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. A operação foi deflagrada na noite de terça-feira (21/06), por volta das 18h37, por meio da 61ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) da localidade, distante 1.028 quilômetros de Manaus.

Foram apreendidos 210 pacotes de pasta base de cocaína, totalizando 1,095Kg, 13 pacotes de cocaína, totalizando 1.295Kg, 4 barras de maconha tipo skunk com total de 2.825Kg e uma porção de 0,5g de maconha in natura

A ação aconteceu no rio Purus, em Boca do Acre, e contou com o apoio da Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

De acordo com o investigador de polícia Ewerton de Alencar, gestor da unidade policial, as diligências iniciaram após o sistema de segurança do estado do Acre informar à PC-AM sobre o membro de uma organização criminosa que estaria transportando entorpecentes da capital Rio Branco para o porto do município de Porto Acre.

“O objetivo era chegar até Porto Acre e, a partir de lá, abastecer a cidade de Pauini e Boca do Acre. Nós embarcamos e conseguimos parar os indivíduos no meio do rio. Verificamos que eles estavam em posse de entorpecentes e demos voz de prisão a eles”, informou a autoridade policial.

Ainda conforme Alencar, com o trio, foram apreendidas porções de maconha, cocaína, pasta base de cocaína, uma embarcação e um motor de rabeta.

“A operação leva o nome de Divisa, em decorrência do tráfico interestadual entre Amazonas e Acre”, detalhou o investigador.

Procedimentos

Aldair, Maisa e Pedro responderão por tráfico de drogas e associação ao tráfico e ficarão à disposição da Justiça.

FOTOS: Divulgação/PC-AM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

Assassino de Sargento da PM, “Lágrima” é preso em Maués

O foragido Vicente Henrique Marculino Pimentel, 21, vulgo ‘Lágrima’, foi preso nas proximidades do município de Maués (distante 276 quilômetros em linha reta de Manaus).