O poeta amazonense Thiago de Mello morreu nesta sexta-feira (14/01) aos 95 anos. Um dos maiores e mais respeitados poetas brasileiros, Thiago de Mello é um expoente da cultura amazônica e deixa um importante legado para a literatura mundial. As causas da morte não foram divulgadas pela família.

O governo do Estado e a Prefeitura de Manaus decretaram luto oficial de três dias pela perda.

O poeta é membro da Academia Amazonense de Letras e recebeu o destaque de Personalidade Literária do Prêmio Jabuti, em 2018. O autor foi reconhecido pelo conjunto da obra, que é referência na literatura regional brasileira.

As causas da morte não foram divulgadas pela família (FOTOS: Divulgação).

“É uma perda irreparável para nossa cultura. Que Deus conforte familiares e amigos do nosso grande poeta”, disse, em nota, o governador Wilson Lima.

Com obras traduzidas para mais de 30 idiomas, Thiago de Mello foi homenageado pelo Governo do Amazonas em 2021, quando artistas de diferentes segmentos se uniram para a leitura do poema “Faz escuro, mas eu canto”.

De acordo com a Secretaria de Estado da Cultura e Economia Criativa, o velório será realizado no Centro Cultural Palácio Rio Negro, na avenida Sete de Setembro, 1546, Centro, com horário a confirmar e seguindo todos os protocolos de segurança sanitária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

Prefeitura de Manaus terá 12 pontos para a vacinação neste sábado

Quem ainda não tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19,…

PC-AM solicita apoio na divulgação da imagem de homem que desapareceu em Iranduba

Jhonatan Alves Silva foi visto pela última vez em uma pousada do município.

MPF recomenda ações para melhoria do serviço de saúde na Terra Indígena Yanomami

O documento prevê ainda que o Ministério da Saúde faça uma auditoria nos gastos dos órgãos responsáveis pelo atendimento dos povos indígenas da região.

UEA firma acordo de cooperação técnica com a agência alemã GIZ

Parceria visa o fortalecimento da Bioeconomia na Amazônia. Solenidade ocorreu nesta quarta-feira (17/11).