Após assumir a operação do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, a VINCI Airports prepara-se para atuar até o fim de fevereiro em Tefé e Tabatinga, no interior do Amazonas. A concessionária também vai assumir aeroportos de Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista e Cruzeiro do Sul, na região norte. Em Manaus, a concessão é por 30 anos.

Ao todo, esses sete aeroportos receberam 4,7 milhões de passageiros em 2019, a maior parte no aeroporto de Manaus, que totalizou três milhões de usuários. Terceiro aeroporto em volume de cargas no Brasil, o Aeroporto de Manaus é um polo de desenvolvimento econômico e social da região.

Em comunicado, a empresa classificou a transição para assumir o comando do Aeroporto Eduardo Gomes como tranquila. O contrato de Concessão foi assinado com a Agência Nacional de Aviação Civil.

A VINCI Airports disse que irá trabalhar para desenvolver os negócios de carga dessa plataforma através da otimização de suas operações e vai aplicar o seu plano de ação ambiental nos aeroportos que irá administrar, baseando-se no bom desempenho ambiental do Salvador Bahia Airport – que se tornou o aeroporto mais sustentável do Brasil desde que a VINCI Airports assumiu sua operação, em 2018.

De acordo com a empresa, o objetivo é reduzir as emissões de carbono – principalmente através da construção de uma usina solar – e aprimorar a gestão da água e dos resíduos sólidos. A concessionária também afirmou que pretende implantar um programa de sumidouros florestais de carbono na região para sequestrar emissões residuais dos aeroportos.

Após a conclusão da integração dos sete terminais, a VINCI Airports irá operar 53 aeroportos em todo o mundo, sendo oito deles no Brasil. Com isso, vai se tornar a concessionária aeroportuária internacional líder no país em número de aeroportos e empregará quase 500 colaboradores no Brasil.

“A VINCI Airports está orgulhosa de ser a nova operadora do Aeroporto de Manaus e de seis outros aeroportos na região amazônica. No Norte do Brasil – em que várias cidades são rodeadas de florestas e rios – o transporte aéreo é essencial para a mobilidade das pessoas e para a logística da cadeia de suprimentos. Nós usaremos toda a nossa expertise nas esferas operacional e ambiental, tendo em vista o desenvolvimento sustentável. Renovamos nossa parceria com o Brasil para fazer dessa concessão mais um sucesso, com base nos resultados bastante positivos que temos tido em Salvador”, declarou Nicolas Notebaert, CEO da VINCI Concessions e Presidente da VINCI Airports.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

Com duplicação da AM-070, Governo do Estado melhora escoamento para 2,6 mil famílias de produtores rurais

Além da duplicação da rodovia, o governo Wilson Lima pavimentou ramais da região

Junta Comercial do Amazonas registra 609 novas empresas no mês de novembro

Segmento de serviços foi o mais procurado pelos empreendedores no mês de novembro

Vacinação contra brucelose é prorrogada no Amazonas

Produtores têm até o dia 17 de dezembro para imunizar bovídeas entre 3 e 8 meses de idade e fazer notificação junto à Adaf

43ª Expoagro ocorre em dezembro, no Kartódromo da Vila Olímpica, com expectativa de R$ 100 milhões em negócios

Wilson Lima anunciou isenção de ICMS para produtos comercializados na feira