Em janeiro, o Teatro Amazonas tem destaque no roteiro de férias em Manaus, com visitas mediadas que acontecem de terça-feira a sábado, das 9h às 17h. O agendamento pode ser feito no Portal da Cultura (cultura.am.gov.br), no site do Teatro Amazonas (teatroamazonas.com.br) e no aplicativo Cultura.AM.

Crianças com até 10 anos, pessoas com deficiência e pessoas nascidas no Amazonas, com comprovante da naturalidade, têm entrada gratuita. Os demais visitantes pagam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue, militares e acompanhantes de pessoas com deficiência, mediante a apresentação de documentos.

Por conta dos protocolos de segurança em prevenção à Covid-19, as visitas acontecem em grupos de até 30 pessoas.

(FOTOS: Michael Dantas/Divulgação).

Na visita de 40 minutos, o público tem a oportunidade de conhecer o Salão Nobre do Teatro Amazonas, o Salão de Espetáculos e o Salão Verde, onde está a linha do tempo e painéis informativos sobre a construção do patrimônio histórico, numa retrospectiva com curadoria de Jandr Reis em homenagem aos 125 anos do espaço.

Entre os destaques da mostra tem plantas de construção, tecidos e objetos, considerados relíquias, além do breve histórico dos artistas responsáveis pela parte externa e interna do equipamento cultural, como Crispim do Amaral, Domenico De Angelis e Enrico Quattrini.

O visitante ainda confere uma maquete do Teatro Amazonas, feita com blocos de Lego, e uma escultura de bronze do artista francês Adrien Étienne Gaudez.

Para proporcionar a experiência da atmosfera de um camarim do Teatro Amazonas durante a Belle Époque, foi criado um espaço cuja ambientação e composição foi realizada com a utilização de peças de mobiliário do espaço e objetos adquiridos em antiquários pelo Brasil.

(FOTOS: Michael Dantas/Divulgação).

Entre as porcelanas em exibição, uma escarradeira é referência ao fato de que foram intensamente utilizadas no século 19, sendo considerado de “bom-tom” o hábito de se expelir secreções em público. Utilizadas nos espaços sociais, eram deixadas à disposição das visitas, no chão, em geral aos pares, ladeando os sofás. O exemplar do camarim é de procedência alemã, da histórica fábrica de porcelanas Villeroy & Boch.

Protocolos 

 Os equipamentos culturais passam pelo processo de sanitização e têm totens de álcool em pontos estratégicos. São exigidos todos os procedimentos para evitar o risco de contaminação da Covid-19, entre eles o uso obrigatório de máscara, medição da temperatura, distanciamento de 1,5 metro e apresentação do comprovante de vacinação na entrada. 

(FOTOS: Michael Dantas/Divulgação).

Também fica proibido o contato físico com elementos dos espaços, como colunas, paredes, vitrines expositoras, esculturas, pinturas, demarcadores, portas e maçanetas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

‘Mova-se 2022’ é contemplado com edital do Banco da Amazônia

Ao todo, o Banco da Amazônia aprovou 13 projetos de todo o Brasil, dentre eles o Mova-se: Solos, Duos e Trios, realizado pelo Casarão de Ideias

Complexo Ponta Negra terá horários especiais nas vésperas de Natal e Ano Novo

A tradicional festa de réveillon na praia do complexo e a queima de fotos foram canceladas este ano em razão da pandemia. 

MPF recomenda ações para melhoria do serviço de saúde na Terra Indígena Yanomami

O documento prevê ainda que o Ministério da Saúde faça uma auditoria nos gastos dos órgãos responsáveis pelo atendimento dos povos indígenas da região.

Prefeitura reinaugura praça Baden Powell na Cachoeirinha

Um dos bairros mais antigos de Manaus, Cachoeirinha recebe desde o dia 1° de janeiro diversos serviços da Semulsp.