O retorno do voo Manaus-Panamá representa a retomada gradual das atividades turísticas e o reaquecimento do setor no Amazonas, é o que afirma o presidente da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Sérgio Litaiff Filho. O trecho, que era realizado pela Copa Airlines, desde 2006, foi suspenso durante a pandemia, em março de 2020, e retornou à operação neste mês de dezembro.

(FOTOS: Janailton Falcão/Amazonastur).

O titular da Amazonastur ressaltou que a retomada do destino é importante, tendo em vista que o Panamá é porta de entrada para o mercado americano, de onde há conexões para diversas cidades dos Estados Unidos, como Miami e Dallas. O trecho é estratégico, também, pelo fato de o país ser principal emissor de turistas para o Amazonas.

“O avanço da vacinação, o cumprimento dos protocolos de segurança, a promoção do destino em cidades do Brasil e do exterior, a conquista do selo ‘Safe Travels’, além de outros fatores, têm contribuído para o retorno do fluxo de turistas para o Amazonas e, consequentemente, o reaquecimento do turismo em nosso estado”, avaliou Litaiff.  

E acrescentou que o mercado americano é um grande emissor de turistas, ainda mais quando o assunto é pesca esportiva. “Também sabemos que para um voo direto acontecer é necessário ter demanda. E o fato desse voo estar operando já aponta essa procura e isso é muito positivo”, disse o presidente da Amazonastur.

(FOTOS: Janailton Falcão/Amazonastur).

O trecho Manaus-Panamá está sendo realizado três vezes por semana em uma aeronave modelo B 737-800, com capacidade para 144 passageiros na classe econômica e 16 na classe executiva. Saindo de Manaus, o voo ocorre às segundas, quartas e sextas, com saída às 3h50 da madrugada. Com saída do Panamá, o trecho ocorre aos domingos, terças e quintas, às 2h50, também da madrugada. O voo tem duração de 3 horas e 52 minutos.

A Copa Airlines atua em todo continente americano com mais de 65 destinos. A líder regional de mercado e marketing da empresa, Valéria Padilha, destacou que o retorno do voo é positivo.

“Com a contínua retomada do setor, estamos ampliando frequências de voos em algumas regiões, como Rio de Janeiro e Brasília, e retomando algumas operações, como a de Manaus. Estamos muito felizes por retornarmos à cidade, onde, tradicionalmente, temos uma excelente demanda pelos nossos serviços”, disse Valéria.

Ao longo de todo o ano de 2021, a gestão da Amazonastur tem se reunido com companhias aéreas, buscando a abertura de novos destinos e reabertura de voos que foram suspensos em razão da pandemia. Latam, Gol, Azul, Itapemirim, American Airlines, Copa Airlines e Fly All Ways foram as empresas com as quais a presidência da Amazonastur se reuniu ao longo deste ano.

Safe Travels – O Amazonas possui selo “Safe Travels” do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (World Travel & Tourism Council – WTTC). Criado em decorrência da pandemia com o objetivo de oferecer destinos seguros aos turistas, o selo é um indicador de saúde e segurança para os visitantes, contando com a chancela da Organização Mundial de Turismo (OMTT).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

Governo do Estado inicia hoje (24/01) cadastro para o programa Mais Crédito Amazonas

Cadastro deve ser realizado exclusivamente pelo site da Afeam; linhas de financiamento têm limite de até R$ 100 mil

Wilson Lima inaugura restaurante popular ‘Prato Cheio’ e entrega 4 toneladas de pescado, em Autazes

Governador também assinou convênios com Prefeitura, da ordem de R$ 3 milhões, e liberou fomento para o setor primário

Azul aguarda conclusão de obras em aeroportos do interior do Amazonas e Amapá para iniciar suas operações

Companhia está há cerca de seis meses com sua operação em espera para iniciar voos em cinco novas cidades nos dois estados, mas administradores locais ainda não evoluíram com as obras necessárias para adequação da infraestrutura de seus aeroportos