Uma refeição completa, com direito a arroz, feijão, farinha, macarrão, carne e salada; além de fruta e sobremesa, pelo valor simbólico de R$ 1. A hora do almoço passou a ser farta e com alimentos de qualidade para centenas de pessoas em situação de vulnerabilidade social, desempregados e trabalhadores informais de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). Inaugurado pelo governador Wilson Lima na semana passada, o restaurante popular Prato Cheio – o primeiro do interior do Amazonas, vai fazer a diferença nos dias de quem mais precisa.

(FOTOS: Lucas Silva e Diego Peres/Secom).

Pai de três filhos, o mototaxista Waldemir Fernandes, 49, conta que pagar R$ 1 para se alimentar bem é o sonho de qualquer trabalhador informal, que não tem garantia de salário fixo no final do mês.

“É bom demais. Enquanto passo o dia e a tarde toda (trabalhando) para fazer R$ 50, R$ 60, chego em casa e só compro o almoço, aí não dá para passar o dia todo. Volto (a trabalhar) e fico até 21h para fazer mais R$ 20, R$ 30. Chegando aqui num lugar desses, está bom demais para a minha família, gastando apenas R$ 3, está ótimo. Para quem gastava R$ 100 por dia no almoço. Agradeço muito ao governador”, disse.

Para a agricultora Maria Madalena, 35, almoçar fora de casa era uma realidade distante, antes do restaurante popular. “Para mim é um privilégio, porque eu nunca imaginaria a gente almoçar pagando pouco, com a situação que nós estamos vivendo hoje em dia. Está tudo caro”, reforçou a produtora rural mãe de cinco filhos.

(FOTOS: Lucas Silva e Diego Peres/Secom).

Emprego, renda e economia aquecida – Ao mesmo tempo em que garante a segurança alimentar e nutricional da população, o Prato Cheio gera emprego e renda, além de movimentar a economia local por meio da aquisição de alimentos e insumos para o preparo das 400 refeições diárias que são oferecidas.

Natural de Manacapuru, Muller Pereira, 37, estava desempregado e agora integra a equipe de trabalho do restaurante, como supervisor.

“Nós nos sentimos privilegiados, porque é uma oportunidade que o Governo do Estado está trazendo para nós, manacapuruenses. Eu, como filho de Manacapuru, me sinto verdadeiramente prestigiado e honrado com essa oportunidade que nós estamos tendo. Manacapuru, nós sabemos, é um polo de Manaus, então nós buscamos isso e através do Governo do Estado está sendo gerada essa oportunidade, inclusive para nós, que vamos estar aqui gerenciando o restaurante popular Prato Cheio”, celebrou Muller.

Combate à fome – O Prato Cheio de Manacapuru é o primeiro de uma série de restaurantes populares que serão implantados no interior, até o final de 2022, para atender a população em situação de pobreza. A próxima inauguração será em Autazes, no dia 18 de dezembro.

O restaurante integra a política estadual de combate à fome do Governo do Amazonas, sob a coordenação da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam).

A refeição vendida ao preço simbólico de R$ 1 é disponibilizada mediante cadastro social e compra de senha, a partir das 8h. Serão servidos 400 almoços por dia, ou seja, 2 mil por semana (segunda a sexta-feira, do meio-dia às 14h), totalizando 8 mil refeições/mês.

“Com R$ 5 uma família consegue alimentar seus filhos, cinco membros de uma família. É aberto ao público, mas como há um limite de quantidade, ele é direcionado às pessoas em situação de extrema pobreza e de grande vulnerabilidade social. O objetivo do governador Wilson Lima é garantir alimentação adequada à família amazonense”, pontuou a secretária de Estado de Assistência Social, Alessandra Campêlo.

Além de Manacapuru, outras cidades que contarão com o restaurante popular são Parintins, Itacoatiara, Tefé, Autazes, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

IPCA de 10,06% em 2021 abre nova margem no teto de gastos do governo

Com o acumulado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)…

Governo do Amazonas paga 5ª parcela do Auxílio Estadual no dia 15 e injeta R$ 42 milhões na economia

Programa gera emprego e renda nos 62 municípios e combate efeitos sociais da pandemia

Wilson Lima sanciona lei que garante aposentadoria digna para servidores de 24 órgãos do Estado

Readequação da lei 3.510 é esperada há décadas por 1.987 agentes públicos

Trabalhadores da Educação comemoram abono histórico do Fundeb

Benefício varia de R$ 12,6 mil a R$ 37,8 mil e será pago a 32,9 mil trabalhadores da Secretaria de Educação e do Cetam