O programa vem para somar a uma série de outros esforços de aceleração educacional e profissionalizante da maior foodtech da América Latina. A ideia é antecipar cenários por meio de pesquisas e promover medidas para resolver os impasses encontrados, e, como neste caso, acessibilizar a educação de qualidade para que pessoas entregadoras tenham possibilidades diversas no mercado de trabalho.

Com dedicação de 2,5 horas de estudos diários, em até 3 meses, o estudante conseguirá se preparar para a prova, que acontecerá dia 25 de agosto de 2022, de maneira virtual e sem custo. A aprovação no exame garante a emissão do certificado de conclusão do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio.

A iniciativa do iFood chega para incentivar que as pessoas entregadoras parceiras voltem aos estudos e conquistem mais oportunidades na vida. De acordo com a pesquisa da Locomotiva, realizada esse ano com as pessoas entregadoras de todo o país, 89% não estão estudando atualmente, mas 6 a cada 10 ainda pretendem estudar, por isso, o objetivo da companhia é aumentar ainda mais esse número e, com isso, promover oportunidades para todos.

“Enxergamos a Educação como uma das ferramentas mais potentes de transformação social, e aqui no iFood, temos o objetivo de impactar 10 milhões de pessoas até 2025. Parte importante desse compromisso é o nosso ecossistema. Buscamos parcerias estratégicas, como essa com a Descomplica, para nos apoiar nesse objetivo. Acesso à educação básica e conclusão do Ensino Médio é um passo importante na jornada de desenvolvimento de todo ser humano. Se pudermos impactar o nosso ecossistema e seu entorno, enxergamos que podemos apoiar como parte da mudança para um Brasil mais próspero”, afirma Luanna Luna, gerente de educação do iFood.

O curso oferecerá preparação online, em formato inovador de ensino, com relatórios completos com dados de consumo, performance e sentimento dos alunos, além de acompanhamento próximo e profissional para turmas mensais e bolsas remanejáveis. ​”Em um infeliz momento de alta evasão escolar, colocar em prática este projeto é primordial, pois vai ajudar a mudar a vida de muitas pessoas que não conseguiram concluir o Ensino Médio”, diz Marco Fisbhen, CEO e Fundador da Descomplica. “Somos especialistas em educação digital e nosso método pedagógico foi pensado também para quem tem uma rotina agitada, justamente como o público desse projeto.”

A educação de qualidade deveria estar disponível para todas as pessoas. Entretanto, segundo o GESTA (Galeria de Estudos e Avaliação de Iniciativas Públicas), essa não é a realidade no Brasil, onde 27% dos jovens entre 15 a 17 anos, cerca de 1 em cada 4, desistem de estudar e têm suas oportunidades de crescimento tanto profissional quanto pessoal reduzidas na vida adulta. A disparidade de salários após conclusão do ensino médio é grande, com possibilidade de aumento de ganhos de em média 90%, permitindo, assim, melhores condições de vida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

Manaus tem 31 vagas de emprego em seleção para PCD’s a partir desta segunda-feira

Os cargos foram divulgados pelo Sine Manaus e Sine Amazonas, órgãos públicos de recrutamento de trabalhadores.

Prefeitura de Manaus abre inscrições para cadastro de artesãos

A principal ideia é levar exposições em todas as zonas da cidade