A juíza de direito titular da Vara Única da Comarca de Benjamin Constant (distante 1118 quilômetros de Manaus), Luiziana Teles Feitosa Anacleto, concedeu na quarta-feira (24/11) tutela de urgência na Ação Civil Pública de n.º 0600694-39.2021.8.04.2800 e determinou a interdição do Matadouro Público Hélio Fernandes.

A Ação Civil Pública Cominatória, com pedido de tutela provisória de urgência, foi proposta pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM) contra o Município de Benjamin Constant, com base em inquérito civil, de nº.161.2019.000068, o qual apontou que o Matadouro Municipal Hélio Fernandes está operando em precárias condições higiênico-sanitárias, colocando em risco a saúde da população, além de degradar o meio ambiente.

A magistrada entendeu que as provas que instruem a petição do Ministério Público indicam que a saúde dos cidadãos de Benjamin Constant se encontra em situação de risco, em razão das péssimas condições do Matadouro Municipal, que está em funcionamento sem qualquer condição de higiene e segurança, desobedecendo as normas que regem a atividade de abate de animais para fornecimento de carne e caracterizando um risco à saúde pública e agressão ao meio ambiente.

“Ante o exposto, diante da comprovada probabilidade de direito e perigo de dano, com fundamento nos arts. 294 e 300 do CPC c/c art. 12 da Lei n.º 7.347/85, art. 2º, IV da Lei n.º 7.889/89, defiro o pedido de Tutela de Urgência deduzido na inicial para determinar a imediata interdição do Matadouro Público Hélio Fernandes, até que o Município de Benjamin Constant adeque o seu funcionamento às regras vigentes, nos termos descritos no relatório técnico do IPAAM – Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (mov. 1.54); ou o adequado funcionamento da nova sala de abate”, escreveu a magistrada em sua decisão.

Além da interdição, a juíza também estipulou uma multa diária no valor de R$ 10 mil; limitada a R$ 400 mil, sem prejuízo de revisão, nos termos do 534 do Código de Processo Civil. Os valores recolhidos a título de multa deverão ser revertidos para o fundo de que trata o artigo 13 da Lei n.º 7.347/1985 (Disciplina a Ação Civil Pública de responsabilidade por danos causados ao meio-ambiente, ao consumidor).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

Mapa de Manaus já atualizou informações de aproximadamente 161 mil imóveis na capital

Os dados foram levantados com auxílio de tecnologias de geoprocessamento por meio de imagens aéreas métricas, perfilamento a laser, varredura por mapeamento móvel terrestre em 360° e vistorias em campo.

Em ação inédita, Governo entrega 250 cadeiras de rodas e garante mais dignidade e inclusão a PCDs

Cadeiras foram entregues durante o lançamento do programa Amazonas mais Inclusão, nesta segunda-feira (29/11)

Prefeitura inaugura clínica da família na zona Leste

Capacidade de atendimento é de mais de 1.000 pessoas por dia.

Programação de Natal do Governo do Amazonas gera mais de 500 postos de trabalho na capital e interior

O Mundo Encantado do Natal’ contará com atividades em Manaus e em mais 20 municípios