O Ipem-AM fiscalizou a qualidade e segurança dos produtos vendidos, além de orientar os consumidores sobre os seus direitos e deveres (FOTOS: Divulgação/Procon-AM).

A nove dias da Black Friday, o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-AM) e o Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Amazonas (Ipem-AM) iniciaram uma série de fiscalizações em shoppings de Manaus com foco na data, marcada pelo alto número de descontos em diversos setores. Nesta quarta-feira, 17/11, os fiscais dos dois órgãos estiveram em centros de compras na zona leste de Manaus.

Durante a ação, o Procon-AM autuou duas lojas por ausência de placa informativa sobre a Lei do Troco. Em um terceiro estabelecimento, foram apreendidos 60,3 Kg de alimentos com datas de validade expiradas. 

O Ipem-AM fiscalizou a qualidade e segurança dos produtos vendidos, além de orientar os consumidores sobre os seus direitos e deveres. 

“Estamos verificando os produtos de linha branca, como as geladeiras, freezers, máquina de lavar, microondas, chapinha, secador de cabelo, e produtos natalinos, como as luminárias, pisca-piscas e brinquedos”, informou o diretor-presidente do Ipem-AM, engenheiro Márcio André Brito.

Somente na ação desta quarta, o Ipem fiscalizou 1.151 produtos, destes 84 brinquedos e 29 adaptadores com plugues incorporados e que estavam sendo comercializados sem a certificação do Inmetro, e foram apreendidos. 

O Procon-AM alerta para a publicidade enganosa nesse período do ano (FOTOS: Divulgação/Procon-AM).

As empresas com produtos irregulares serão autuadas, e terão prazo de dez dias para apresentar defesa junto ao órgão. As multas podem chegar a R$ 1,5 milhão. 

O consumidor que desconfiar de possíveis irregularidades deve entrar em contato com a Ouvidoria do Ipem no telefone 0800 092 2020, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Dicas para não cair em fraudes – O Procon-AM alerta para a publicidade enganosa nesse período do ano, com promoções que não representam vantagem ao consumidor – o famoso preço pela “metade do dobro”. Como prevenção, a pesquisa constante de preços antes e durante a Black Friday ainda é a maior aliada da população. 

Em casos de cobranças abusivas, o cliente pode tirar fotos ou prints – em compras online – com o valor do produto ou, ainda, guardar encartes publicitários para formalizar a denúncia. 

“Os estabelecimentos devem fornecer nota fiscal e se, a depender da forma de pagamento, há diferença no valor do produto. Nas compras presenciais, o prazo de troca fica a critério do estabelecimento. Em relação às compras online, a troca é obrigatória, já que o consumidor não tem como experimentar ou testar o produto. Também recomendamos que o consumidor busque sites confiáveis, com avaliações positivas”, aponta o diretor-presidente do Procon-AM, Jalil Fraxe.

Denúncias ou reclamações sobre práticas abusivas durante a Black Friday podem ser encaminhadas às redes sociais do Procon-AM (instagram @procon_amazonas e Facebook Procon Amazonas), no e-mail fiscalizacaoprocon@procon.am.gov.br ou pelo número 0800 092 1512.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar

Secretaria de Saúde alerta para golpe aplicado em familiares de pacientes do HPS 28 de Agosto

Secretaria reforça que não há cobrança para qualquer procedimento e atendimento nas unidades de saúde do Amazonas

SSP-AM inicia processo para a implantação do novo Registro Geral no Amazonas

Novo documento vai reunir todas as informações do cidadão no CPF