Foto: Altemar Alcântara / Semcom

Distribuído em uma área total de mais de 120 mil metros quadrados, com encostas e grande declividade, a Prefeitura de Manaus alinha os estudos técnicos e complementares para a construção do Parque Encontro das Águas, que tem vista do cartão postal natural onde percorrem os rios Negro e Solimões, zona Leste. Além dos elementos do projeto original de Oscar Niemeyer, o lugar terá estudos para um heliponto e um sky glass, uma plataforma estaiada de vidro e aço, com uma altura entre 50 metros e 60 metros, com visão panorâmica e um elevador para acesso à faixa de praia.

Foto: Altemar Alcântara / Semcom

Em visita técnica nesta quinta-feira, 28/10, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), engenheiro Carlos Valente, com o diretor de Planejamento (DPLA), arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro, e o coordenador de projetos, arquiteto e urbanista Leonardo Normando, fizeram anotações para a proposta, com fundamento no projeto do arquiteto Oscar Niemeyer para o espaço.

“Estamos visualizando as melhores locações para os instrumentos projetados por Niemeyer e, acima de tudo, deixar ainda mais acessível a área de visão cênica dos rios. Isso é o mais importante no estudo para construção e execução para o prefeito David Almeida, de uma obra que é um grande monumento e deve ser entregue provavelmente no primeiro semestre de 2023”, disse Valente.

O arquiteto Niemeyer desenhou uma estrutura em concreto armado, na sua assinatura de reinterpretação de materiais modernos e volumes puros, na relação arte-arquitetura. Para o parque, há o contraste geométrico entre formas arquitetônicas orgânicas – a representação dos rios – com a natureza exuberante.

“Niemeyer projetou um monumento, que vamos conectar ao ecossistema aquático. É uma oca estilizada em concreto armado, com 30 metros de diâmetros e uma lâmina em cima, com cerca de 17 metros de altura, representando os rios Negro e Solimões. A outra parte é um restaurante, também dando curva ao concreto”, disse o diretor-presidente.

A equipe técnica do Implurb está alocando espaços para piqueniques, estacionamentos e estruturas institucionais que vão garantir o funcionamento do parque, sua preservação, segurança, beleza e limpeza.

Valente lembra que o lote foi adquirido pela Prefeitura de Manaus e teve um projeto anterior, desenvolvido pelo arquiteto José Henriques Rodrigues, mas que possuía limitações em razão da existência de torres da Embratel. Hoje as torres não existem mais no platô que tem a vista mais exuberante para o cartão postal.

São 120 mil metros quadrados, mas grande parte é de proteção permanente por causa da declividade acentuada do terreno, acima de 30 graus, com encostas. “Teremos gastronomia, lazer, cultura, a contemplação e os espaços conectados. Será um local para rivalizar com a Ponta Negra e um monumento para a capital se orgulhar muito”, ressaltou Valente.

Projetos

O Implurb é o órgão que atua diretamente para capitanear projetos urbanísticos e arquitetônicos, cujas operações serão, futuramente, frutos de licitações, chamamentos públicos e outras modalidades previstas na legislação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

SPA São Raimundo pede ajuda para encontrar família de paciente

O paciente foi levado pelo Samu para atendimento na unidade com quadro de hipoglicemia.

Maternidade Moura Tapajóz convoca doadoras para reposição

Entre em contato pelo número número (92) 99240-8080.

Duplicação da AM-070 será inaugurada no dia 20 de dezembro, anuncia Wilson Lima durante fiscalização a obra

Governador fiscalizou pavimentação dos últimos 300 metros da estrada; próxima etapa é a instalação de 11 quilômetros de sinalização da rodovia

PC-AM solicita apoio na divulgação da imagem de jovem que desapareceu no Tarumã-Açu

Luiza Beatriz Rodrigues Costa saiu para ir a uma festa e não retornou mais